10 de setembro ─ Itália: Santa Maria da Vida (1613)

Maria revela “Um grande mar de fogo”

Fátima: como a aparição de 13 de julho de 1917 mudou a Igreja. Neste centenário de Nossa Senhora de Fátima, voltemo-nos para a mensagem da Virgem, dada aos três pastorinhos, mensagem que recolocou o inferno no centro da consciência católica. Nossa Senhora mostrou-lhes o inferno, advertindo-os severamente sobre uma segunda guerra mundial e um novo período do martírio, revelando-lhes um terrível sinal. Os pastorinhos tiveram uma visão do inferno que os horrorizou tanto, a ponto de pensarem que iriam morrer. Eles viram “um grande mar de fogo”, onde estavam mergulhados “os demônios e as almas” que, em vida, se tinham oposto a Deus e aos seus caminhos. Eram “como brasas transparentes e negras ou bronzeadas, que flutuavam no incêndio, levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, caindo para todos os lados, entre gritos e gemidos de dor e desespero” ─ revelou Lúcia.

As mensagens de Jesus (Marcos 1, 10), de João Batista (Mateus 3, 1-2) e de Pedro (Atos 2, 38) são todas iguais: “Arrependei-vos!” Jesus definiu a missão da Igreja pregando o “arrependimento, pelo perdão dos pecados” (Lucas 24, 47). Do Papa Pio XII ao Papa Francisco, todos os Pontífices disseram que “o pecado do século é a perda do sentido do pecado”.

A recusa em se arrepender – a crença de que o pecado realmente não existe – é o cerne das maiores catástrofes morais de nossos tempos; do aborto ao tráfico humano, da epidemia da pornografia e da criminalidade urbana...

A visão de Nossa Senhora de Fátima sobre o inferno oferece um contrapeso; uma correção, absolutamente necessária para a expectativa presunçosa de que todos nós iremos para o céu, não importando o que se tenha feito. É verdade que Deus quer perdoar a todos. Mas uma coisa o impede: o fato de nós não nos arrependermos.

Antoine Mekary

Aleteia

 

 

Cadastrar-se é fácil, cancelar a inscrição é mais fácil ainda.
Não espere mais, inscreva-se agora. É grátis!