28 de março - França: O Grande Retorno de Nossa Senhora de Bologna (1943)

“Que a Virgem Santíssima cuide disso”

Charles Péguy (1873-1914), escritor místico francês, inicialmente ateu e próximo do socialismo, antes de se converter ao cristianismo. A partir de então, ele passou a rezar durante toda a sua vida, pela conversão de sua esposa. Charles morreu em batalha, durante a guerra de 14-18. A esposa aceitou receber o batismo, um ano depois.

Em junho de 1912, seu filho, Pierre, ficou gravemente enfermo. Peguy fez uma promessa e foi em peregrinação a Chartres.

“Meu caro -- escreveu a seu amigo Lotte --, eu senti que o caso era sério... Fiz, então, uma peregrinação a Chartres... Foram 144 km, em apenas, três dias... A 17 km nós pudemos ver o campanário de Chartres, na planície... Assim que o vi, fiquei extasiado. Não senti mais nada, nem fadiga, nem meus pés. Todas as minhas impurezas caíram, de repente, fazendo-me sentir que eu era um homem diferente. No sábado à noite, na Catedral, rezei durante uma hora; rezei outra hora no domingo, pela manhã, antes da Santa Missa... Rezei, como jamais havia rezado, pude até rezar pelos meus inimigos... Meu filho está curado, confiei meus três filhos a Nossa Senhora. Eu não tenho como me ocupar de tudo... Meus pequeninos não são batizados. A Santa Virgem é que deve cuidar deles.”

Texto extraído de La Médaille Miraculeuse (A Medalha Milagrosa), Nº 65

Cadastrar-se é fácil, cancelar a inscrição é mais fácil ainda.
Não espere mais, inscreva-se agora. É grátis!