25 de março - Anunciação - 16ª aparição em Lourdes (1858) - Nossa Senhora de Walsingham

Mirat, o muçulmano, passou a chamar-se Lours...

Carlos Magno tinha colocado a sua glória e salvação sob a proteção de Nossa Senhora. Em 778, após a famosa campanha da Espanha, ele sitiava a fortaleza de Mirambel, tomada pelos sarracenos, executando a limpeza dos últimos focos sarracenos de resistência do sul da França. Porém, Mirat, o emir sarraceno, resistiu-lhe. Premido por outras frentes de batalha e desencorajado pela resistência obstinada de Mirat -- o soberano sarraceno, que dominava a fortaleza (atual cidadela de Lourdes) -- Carlos Magno, estava prestes a renunciar e a levantar o cerco.

Entretanto, Turpin, Arcebispo de Puy-en-Velay, seu companheiro, recebeu valiosa inspiração e obteve a autorização para negociar com os oponentes sitiados. Apresentando-se de mitra e báculo, armado de couraça e espada, ante o orgulhoso Mirat, intimou-o à rendição. O sarraceno respondeu que jurara por Alá jamais entregar suas armas a outro combatente. O Arcebispo propôs-lhe, então, capitular aos pés de uma bela dama cheia de bondade, rainha do Céu, à qual até o magno e nobre Carlos obedecia: Nossa Senhora.

E o milagre moral operou-se: a proposta agradou ao chefe mouro que depôs as armas aos pés da Virgem Negra de Puy, e se fez batizar. O muçulmano tornou-se cristão. Foi batizado como Lours (ou Lorda, rosa, em árabe), de onde provém o nome Lourdes. Entregou suas armas no santuário de Nossa Senhora de Puy-en-Velay e, até o final da vida, guardou o comando da fortaleza ? um dos primeiros feudos pessoais da Santíssima Virgem. 

Marquis de La Franquerie

Trecho de La Vierge Marie dans l’histoire de France (A Virgem Maria na história da França) – Resiac.

Cadastrar-se é fácil, cancelar a inscrição é mais fácil ainda.
Não espere mais, inscreva-se agora. É grátis!